Terça-feira, 21.02.12

CHANGE

Por inúmeras razões há uma necessidade de mudança, mas levo tudo comigo.  Até breve.

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 00:47 | link do post | comentar

Em REPEAT:

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 00:47 | link do post | comentar
Sábado, 18.02.12

God is great, God is good:

Tenho falado tanto com ele. Não me sentei e conversei, como costumava fazer. Tenho conversado em pensamento enquanto caminho, quando venho no autocarro, no banho, e quando me olho ao espelho. Escrevo e também lhe falo. Ele ouve-me sempre com toda a atenção e carinho, os de sempre. Pergunto-lhe o que fazer. E ele aconchega com as Suas mãos o meu coração dorido, por vezes perdido. Aconchega sempre. E é Ele, tenho a certeza que é, só Ele que me acalma e me dá esperança. É só ele, eu sei, é só ele que me prende os pés ao chão e não me deixa correr até te encontrar. É ele que me diz: Espera. E eu espero.

 

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 20:12 | link do post | comentar

Pablo Neruda:

"Dois...
Apenas dois.
Dois seres...
Dois objetos patéticos.

Cursos paralelos
Frente a frente...
...Sempre...

...A se olharem...
Pensar talvez:
"Paralelos que se encontram no infinito..."
No entanto sós por enquanto.

Eternamente dois apenas."

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 20:05 | link do post | comentar

...


Tenho o cabelo tão comprido, ías gostar tanto de lhe mexer, de me ver quando o vento o balançasse.

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 19:37 | link do post | comentar

...


Tenho saudades de quando trazias sempre uma flor, que apanhavas pelo caminho para me dar.

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 19:06 | link do post | comentar
Quarta-feira, 15.02.12

Escrito a 12 de Fevereiro, viagem Lisboa-Coimbra:

Por muito que se parta com o aconchego de que não vamos sós, de que temos alguém, um ombro amigo e o calor na cama... Não nos podemos esquecer, nunca, de que "ninguém é de ninguém" e , partir junto não quer dizer não separar nunca. Esse alguém também terá pessoas que o movem, que palpitam no coração. E disso sei eu. Por muitas pessoas, agarrava eu em tudo e partia de novo. Quase sem olhar para trás. Não nos podemos esquecer, porque senão a vida encarregar-se-á de nos relembrar quando julgamos ter tudo garantido e a companhia na almofada do lado lá, à noite, à noitinha, mas lá. Quando pensarem em partir ou quando partirem, não partam com o consolo de que não partem sozinhos, porque a vossa vida só é vossa, só têm o mérito pelo que sozinhos lutam. As conquistas só são festejadas com o coração quando foi a vocês que custou o suor, as lágrimas e a cama gelada. Há sempre um primeiro momento em que nos sentimos realmente sozinhos, esse é o primeiro de muitos dias de solidão, em que pomos as mãos ao alto e pensamos que nunca tinhamos planeado ele não estar, que nunca tinhamos planeado começar a vida tão rápido, que nunca tinhamos planeado "estar por nossa conta", não íamos juntos? Não ías aquecer sempre a minha cama nas noites frias? Muitas promesas perdem-se pelo caminho, pelo tempo e nas circunstâncias da vida. Não contes com ninguém a não ser contigo. Só contigo, e apenas e só, porque a mente e a alma não se separam do corpo, senão até nós nos deixaríamos sozinhos. Às vezes somos demasiado depressivos e chatos, outras só queremos fugir das dificuldades difíceis de enfrentar e ultrapassar. Ainda há umas quantas que desejamos correr atrás da companhia perfeita, do coração que nos embale, da mão que nos segure ou da voz que nos diga "vai ficar tudo bem". Quando partirem não se esqueçam que quem vai partir são vocês! Força a todos os que têm a coragem de mudar.

(não me importa qe isto esteja pessimamente mal escrito, porque foi um sentido desabafo) 

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 03:45 | link do post | comentar
Sábado, 11.02.12

Coisas que se dizem:

 
Ele: Vou perceber-te completamente.

Eu: Completamente? Isso é muito ambicioso.

Ele: Quero estar bem contigo. Amo a tua complexidade.

Ele: Tenho tempo e vontade não falta!

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 02:43 | link do post | comentar

Qualquer coisa disto

se o meu final for contigo, que bom que não estamos juntos hoje nem amanhã. tu sabes o quanto sou complicada. tu sabes. ninguém sabe tão bem quanto tu como é a minha cabeça confusa, o meu coração multi-dividido. não estou a dizer que sabes bem. estou a dizer que sabes melhor que todos. mas não sabes bem. nem eu. não me percebo. e tu, com toda a certeza pensas, se leres isto, "imatura". não. desculpa descordar contigo. não. eu apenas não sou igual. e há um segredo: eu guardo quase tudo do que penso, do que surge como ideia. e o mal? o mal é que não escrevo. penso e vai-se. simplesmente vai-se. porque tenho uma falha grande: o esquecimento. oh, ninguém percebe. ninguém perceberia mesmo que  explicasse de coração frente-a-frente. dizia que se o meu final for contigo, que bom que não estamos juntos nem hoje nem amanhã. hoje invadiu-me uma onde de criatividade como muito de vez em quando invade. preciso de não a desperdiçar. vou ficar por aqui. por ali. onde for a escrever tudo do que a minha cabeça pensar. sei que vai dar frutos. além disso quero fazer coisas memoráveis para deixar como herança. quadros muitos quadros. de muitas coisas. não sou coerente. hoje também não quero. tenho vergonha de dizer isto a qualquer um. ninguém sabe o que sou cá dentro na cabeça. hoje apetece-me criar: ideias, projectos, frases, sobretudo ideias. estou a construir-me. ainda sou muito complicada para me amares, se esse for o meu e o teu destino para sempre. para me amares a tempo inteiro. e eu não estou preparada para largar tudo por ti. nem o tudo ainda construí. se for para ficar contigo, ainda há uma longa espera. minha. tua. eu vou viver. tu vais viver. esquece-me. se for para ficares comigo nunca me vais esquecer, mesmo quando julgares que sim. esquece-me porque eu não vou estar aqui. mas vou voltar. um dia. e tu vais gostar de me ver outra vez. por agora, vou pensar em elaborar, em passar de ideias para objectos, de folhas para dossiers, quero emoldurar bilhetes que me deixam ou sou eu a deixar de manhã antes de sair, de frases que oiço ou leio, fotografias de objectos alguns meus, escrever a história da história da gente que por mim passa, para não se esquecerem, para não me esquecer, para alguém saber um dia que conheci determinada coisa ou pessoa e aconteceu isto, aquilo e o outro, quero fazer um dia um busto de gesso com a forma que der forma a determinado momento e quero ler. é sofredor não ser entendido. acabei de receber uma mensagem a dizer: amo a tua complexidade. ainda não te falei dele. ainda não tive coragem para te despedaçar mais uam vez o coração. perdoa-me. ainda não ter contado. e ter-te despedaçado o coração quando nunca o quis. tu preferias que eu ficasse por aqui. mas já comecei e estou farta de mentiras e omissões. ele é muito carinhoso e inteligente, perspicaz. ama-me com os olhos. por mais que tente não vou conseguir dizer o que ele é para mim, nem o sentimento que tenho por ele. a ti não. mais uma vez, desculpa. quero apenas que saibas que ele é bom. ele é bom. Goodnight.

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 01:50 | link do post | comentar
Sexta-feira, 10.02.12

Até agora

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 22:55 | link do post | comentar
Terça-feira, 07.02.12

BRIOOOSA BRIOOOSA

Toda a gente deste café acabou de dar uma grande salva de palmas à nossa Academica!! JAMORRRRRRRRR

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 22:15 | link do post | comentar

Amor Maior:

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 21:58 | link do post | comentar

É por estas coisas que vale a pena estar em Coimbra:

 



Soltar um sorriso grande quando estamos no café do costume, sozinhos, envolvidos nos nossos dilemas com os phones nos ouvidos (em vespera de exame) e ouvimos toda a gente, de salientar toda a gente a gritar pelo segundo golo da academica. Há um espirito coimbrense que me invade e me faz feliz. Obrigado meu Deus, por estar aqui, apenas por estar aqui.

(não me apetece acentuar as palavras) 

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 21:47 | link do post | comentar

&

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 15:05 | link do post | comentar
Domingo, 05.02.12

...

O Amor Maior partiu.

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 00:05 | link do post | comentar
Quinta-feira, 02.02.12

Muito do que preciso é de animação, sentido de humor daqueles de cair a rir:

 

(Fieis acompanhantes nestas horas de estudo, eles e a Amiga)

 

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 02:36 | link do post | comentar
Terça-feira, 31.01.12

$

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 02:30 | link do post | comentar
Terça-feira, 24.01.12

O meu Amor Maior falou-me:

 

(tudo isto é um furacão de emoções, de coisas a dizer, de esperança, sobretudo de esperança, Amo-te Amor Maior)

 

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 02:09 | link do post | comentar

I Can't Make You Love Me:

 

Hoje estava ao telefone, e dizia irritada num tom mais elevado "Já me estou a passar!", tu conheces-me a expressão, e quando, logo a seguir, vou à cozinha onde o meu pai jantava e a minha mãe falava ao telefone, o meu pai pergunta-me naquela confusão de vozes e desassossegos (talvez a maior parte deles fossem os da minh' alma) "Estavas a falar com o Pedro E.?", ele chama-te sempre Pedro E., e eu respondi que não, e ele esclarece dizendo "É que como estavas a dizer já me estou a passar". Sinto várias coisas, ao mesmo tempo, ao lembrar-me disto, ao escrever sobre isto. Quero explicar que os meus pais sabem que estamos "chateados", perceberam, e a minha mãe perguntou-me. Não sabem é que a reconciliação não será a mesma que a das outras vezes. Bem, quando o meu pai me disse aquilo a sorrir, eu soube que ele o dizia com carinho, porque gosta de ti (é inevitável não chorar enquanto o digo para dentro e o escrevo), porque com o meu Amor Maior eu sempre estive em segurança, porque o meu Amor Maior é o meu Melhor Amigo e todo o mundo sabe. Só não sabem que há muito tempo o deixei de ser para ele, só não sabem que fui mais do que isso, só não sabem tudo o que está para lá do que veem, só não sabem que já não sou nada. Quando ouvi essas palavras do meu pai, hoje, nestas circunstâncias, neste momento, lembrei-me: será que também o meu Amor Maior não achava assim tanta piada? será que o posso ter magoado por ter falado tantas vezes à bruta? será que o fazia sentir mal em dias para ele, eventualmente, também maus? será que quando se aborrecia comigo também tinha vontade de gritar para mim e não o fazia com cuidado, por cuidado? será que fui sempre uma besta? Neste momento, questiono-me sobre tudo. Neste momento são poucas as coisas que não ponho em causa. A certeza mais certa na vida pode, por si só, pelo seu valor, tornar-se na dúvida mais temerosa. E foi mais um dia sem ti.

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 00:08 | link do post | comentar
Segunda-feira, 23.01.12

.

 

publicado por Vaivém Lisboa-Coimbra Coimbra-Lisboa às 22:27 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
16
17
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

subscrever feeds

blogs SAPO